Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Os poemas são criação minha, salvo os assinalados com o autor. Alguns estão publicados. Não autorizo cópia, ou partilha sem autorização (Decreto-Lei n.º 63/85 dos Direitos de Autor e anexos posteriores)

21
Jul16

A TI... IMMORTAL

por Sílex

 


 



 


 


 


E assim se fez...


Duas colunas que entoavam a música que amavas, no teu funeral


Duas grades de cerveja, foram encomendadas,


para no fim celebrar.


E as tuas cinzas derramadas sobre a Serra por onde andaste,


e que quando lá for...


Saberei que te encontro, sentado num ramo da falésia mais alta,


que decai para o mar,


Sempre, assim a rir, e a todos dizeres


que agora enfim...


Ganhaste as tuas asas e sabes voar.


 


Da minha janela, olho sempre a Serra logo ao acordar


cá em baixo, pertinho de casa, também vejo o mar...


Mas agora sempre que a olhar,


sei que estás ali


A zelar por nós e como gostavas, sempre a saltitar...


De pedra em arbusto e deste, em qualquer ramo,


que ouse bulir


Será por onde andas, folgado a assobiar


A olhar por todos e agora imortal...assim que te pensarei, 


e te acalentarei,


com um sorriso doce, antes de dormir.


 


 



 


 


 

Autoria e outros dados (tags, etc)




Mais sobre mim

foto do autor


Só restos... é o que sou! Um monte de restos, em trânsito pela vida!


Detesto quem me aponta a mediocridade, sem perceber que ser mais do que isto, nunca me importou.
Deixem-se só com a minha insignificância. Contornem-me e não olhem para trás.



"Todo o homem saudável consegue ficar dois dias sem comer - sem a poesia, jamais."
Charles Baudelaire

web
analytics