Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Os poemas são criação minha, salvo os assinalados com o autor. Alguns já publicados. Não autorizo cópia, ou partilha sem autorização (Decreto-Lei n.º 63/85 dos Direitos de Autor e anexos posteriores)

25
Ago17

APOLOGIA DO SOSSEGO

por Sílex

 

 

 

Resultado de imagem para nu mulher artistico

 

 

 

Deixem-me estar sossegada

Eu só quero escrever, mais nada.

Não pretendo ser elogiada 

por ter um dia escrito,

muito, errado... ou bonito,

tampouco, quero ser lembrada.

 

Tornar-me pessoa conhecida, 

mas viver a minha vida, 

longe de toda a cara esfaimada...

pela urgência de fama. Quero deitar-me na cama

e com as palavras bailar, 

acordar de manhã cansada, sem o sono conciliar.

 

 

Não me incomoda se escrevo, 

para que outros aplaudam, e confesso...

Não tenho medo, 

se de todo não for lida.

Quero estar só, nesta vida.

Ser uma, de tantas parida...

 

 

Que anda pelo mundo largada

que não se importa, em concreto, com a opinião da manada

Já que tenho de viver...

Deixem-me estar sossegada

Porque eu só quero escrever...  dizer, ou então não dizer.

Sem cuidar, em ser lembrada.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:




Mais sobre mim

foto do autor


Só restos... é o que sou! Um monte de restos, em trânsito pela vida!


Detesto quem me aponta a mediocridade, sem perceber que ser mais do que isto, nunca me importou.
Deixem-se só com a minha insignificância. Contornem-me e não olhem para trás.



"Todo o homem saudável consegue ficar dois dias sem comer - sem a poesia, jamais."
Charles Baudelaire
hit
counter


web
analytics