Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Os poemas são criação minha, salvo os assinalados com o autor. Alguns estão publicados. Não autorizo cópia, ou partilha sem autorização (Decreto-Lei n.º 63/85 dos Direitos de Autor e anexos posteriores)

17
Jan18

CADA MULHER... É ÚNICA

por Sílex

 

 

 

Foto de Maria De Fátima Soares.

 

 

Como gostas das mulheres?
Atrevidas, desinibidas,
mais solitárias, recatadas?
O que observas de longe, 
quando falam, quando riem
soltam os seus gestos ao vento
como criaturas celestes
munidas de lindas asas?

 

Como tratas as mulheres
como belos malmequeres
que crescem espontâneos nos campos
ou como se fossem crisântemos
de perfumes e cores variadas?
Diz-me. Como tratas as mulheres, 
quando ao despertares-lhe o interesse
as deixas, apaixonadas?

 

Como olhas para a que te prendeu?
Como uma extensão do teu, Eu
a futura mãe dos teus filhos,
ou foges dela na hora,
porque só te queres divertir,
tens uma vida para viver...
E não procuras amarras,
tampouco, buscas sarilhos?

 

Como amas uma mulher
quando a tens nos teus braços
com respeito e com ternura,
cheio de cuidados, doçura
porque essa mulher é, a tal?
Entregas-te de alma, também
cheio de gratidão, por sinal
doido de amor, por alguém?

 

O que queres de uma mulher?
O que há numa qualquer
que à sua maneira deve ser
única e especial.
Divertida, desinibida. Honesta, boa rapariga.
Companheira e confidente, 
que ao unirem o vosso destino
sejam felizes para sempre?

 

Como gostas das Mulheres?
Perfumadas e bonitas
Chamativas, ou engraçadas
que respeitem o que sentes
e que de todos os presentes
que lhes pudesses comprar...
Seja o amor o que elegem, de tudo que lhes ofereces...
O melhor que tens para dar?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:




Mais sobre mim

foto do autor


Só restos... é o que sou! Um monte de restos, em trânsito pela vida!


Detesto quem me aponta a mediocridade, sem perceber que ser mais do que isto, nunca me importou.
Deixem-se só com a minha insignificância. Contornem-me e não olhem para trás.



"Todo o homem saudável consegue ficar dois dias sem comer - sem a poesia, jamais."
Charles Baudelaire

web
analytics