Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Os poemas são criação minha, salvo os assinalados com o autor. Alguns já publicados. Não autorizo cópia, ou partilha sem autorização (Decreto-Lei n.º 63/85 dos Direitos de Autor e anexos posteriores)

22
Ago17

TERRA MOLHADA

por Sílex

 

 

evil-queen-makeup-3.jpg

 

 

 

 

O sol tem na verdade
nos meus olhos a intensidade
da terra, 
quando está molhada
mal a pele me fica dourada
por ser Verão.

 

Nos teus, o sol ilumina
a água calma e fresquinha
onde os arbustos mergulham
E onde peixes prateados,
nadam despreocupados...
Rio acima.

 

Há olhos que mudam de cor
como nos teus acontece
E olhos assim como os meus
que neles só se intensifica
o brilho da luz da Lua... 
Quando escurece.

 

Não fosse a Lua emprestar-lhes
um pouco do seu mistério
que não intervém com a cor,
os meus olhos seriam só Terra e uma nesga de noite
simplesmente... 
Meu amor.

 

Nunca deixes de me ver
com os olhos de quem ama
e um pouco de compreensão
Se não são mais belos os meus,
apesar de tão expressivos... 
Nem mesmo, quando é Verão

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:



2 comentários

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Só restos... é o que sou! Um monte de restos, em trânsito pela vida!


Detesto quem me aponta a mediocridade, sem perceber que ser mais do que isto, nunca me importou.
Deixem-se só com a minha insignificância. Contornem-me e não olhem para trás.



"Todo o homem saudável consegue ficar dois dias sem comer - sem a poesia, jamais."
Charles Baudelaire
hit
counter


web
analytics